Coleta Seletiva, Responsabilidade Ambiental, Variedades

Projeto-piloto de Coleta Seletiva em Condomínios já funciona no Igara

Desde 2010, a coleta seletiva em Canoas é realizada por seis cooperativas de recicladores da cidade que ajudam a dar o destino correto de resíduos descartados pela população e que proporcionam a geração de renda para mais de cem famílias.

Com o objetivo de otimizar essa coleta, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, em parceria com as cooperativas, está colocando em prática um projeto-piloto abrangendo os condomínios de Canoas. A partir da conclusão, no ano passado, do Plano Municipal de Coleta Seletiva, foi identificado um crescimento no número de condomínios em Canoas e, portanto, consequente aumento da produção de resíduos descartáveis o que, dentro de um cronograma normal de recolhimento nos bairros, ocasionaria um maior número de viagens para descarregar os caminhões e mais tempo para o recolhimento total.

São 700 kg por dia

Sete condomínios do bairro Igara foram selecionados para o início do projeto, entre eles os residenciais Barcelona, Igara 2 e Igara 3, onde as coletas já estão sendo realizadas em todas as segundas-feiras, das 18h às 21h. Os resíduos descartáveis são recolhidos durante a semana dentro dos condomínios, em contêineres apropriados para tal, evitando assim a colocação na rua para a coleta normal do bairro e o recolhimento indevido. No piloto, duas cooperativas estão participando do projeto: Cooperativa de Reciclagem de Lixo Amigas Solidárias (Cooarlas) e Renascer, que ficam mais próximas do bairro. “O lixo reciclável tem uma característica de ser muito volumoso e mais leve, por isso precisamos reavaliar toda a metodologia de coleta, acentuando os pontos estratégicos”, ressalta o secretário municipal do Meio Ambiente, Carlos Todeschini.

No Igara 3, por exemplo, o acondicionamento já está sendo feito de forma ordenada. “Acho que todo mundo tem de fazer a sua parte em relação ao lixo”, comenta Vera de Moura, síndica do Igara 3 e moradora do residencial há 17 anos. No Barcelona, pelos menos quatro contêineres de cem quilos cada, foram retirados na última segunda-feira (18), inclusive um, exclusivamente, usado para vidros. “Isso facilita a separação do lixo nas cooperativas”, diz Cássio da Silveira, gestor de Logística da Central das Cooperativas de Reciclagem de Canoas. Em média, 700 kg de material reciclado são recolhidos nas coletas dos condomínios. Ainda neste semestre, a Prefeitura fará uma qualificação com a implantação de novos roteiros e sistemáticas de coleta que, oportunamente, será divulgados à população.

Regramento para os condomínios

      1 – Contêiner identificado para resíduo reciclável;
      2. Que se faça a triagem mínima dentro do condomínio antes de colocar no contêiner, evitando assim a mistura do resíduo reciclado com resíduo orgânico. Obs: Se os resíduos estiverem misturados, o recolhimento não será efetuado pelas cooperativas.
      3. Que o contêiner seja colocado em local de fácil acesso e manuseio pelos coletores evitando a demora no recolhimento;
      4. Que se tenha uma pessoa responsável dentro do condomínio para acompanhar/orientar o recolhimento do resíduo.

O que pode ser colocado para recolhimento

Plástico em geral: copos, garrafas, sacos e sacolas, embalagens PET, canos e tubos de PVC, embalagens de produtos de higiene e limpeza.

Papel e papelão: jornais, revistas, cadernos, aparas de papel, cartolinas e papel cartão e caixas.

Vidros: embalagens de vidro em geral. Vidros quebrados devem ser embalados para evitar cortes no manuseio.

Metais, alumínio e aço: panelas, torneiras, latas de refrigerante, cerveja, ferragens, chapas, cobre e enlatados.

Sucatas: de ferro, cobre e arame.

Embalagens de Tetra Pack: suco, leite e iogurte.

 

Jornal Correio de Notícias

Escrever uma Resposta ou um Comentário

Your email address will not be published.